1 de fevereiro de 2018

Temas em Análise nº 161: Após 3 anos de queda, indústria cresce 2,5% em 2017

Em dezembro, de acordo com a Pesquisa Mensal Industrial (PMI), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a atividade industrial registrou crescimento de 4,3%, sobre igual mês de 2016, superando, com folga, a expectativa do mercado (1,7%), configurando a oitava alta consecutiva nesta base de comparação (ver
tabela abaixo).

Durante 2017, a produção industrial aumentou em 2,5%, após mostrar quedas consecutivas nos três anos anteriores (-3%, -8,3% e -6,4%, respectivamente), acumulando recuo de 16,7%.

Em relação a dezembro do ano passado, todas as quatro categorias de uso anotaram elevação, com destaque para bens de consumo duráveis (20,8%), com o segmento veículos anotando a maior contribuição (25,1%), seguido de informática e eletroeletrônicos (19,9%). Também houve maior produção de bens de capital (8,8%), principalmente direcionados a transporte (21,4%) e construção (50,1%). Na categoria de semiduráveis, a alta perdeu força (0,2%), com vestuário apresentando forte queda (-15,5%). Finalmente, também houve crescimento dos bens intermediários (4,2%), com destaque para peças de veículos (18,4%).

Em síntese, a expansão da atividade industrial em 2017 foi estimulada pelo mercado interno, com a volta do consumo das famílias, impulsionada pelo aumento dos salários e do emprego. A queda dos juros, o aumento dos prazos de financiamento e as maiores exportações de manufaturados e semimanufaturados completam o quadro de
recuperação da indústria. Contudo, a base fraca de comparação dos últimos três anos também ajuda a explicar a recuperação do setor.

A perspectiva é de que a indústria continue crescendo em 2018, estimulada pelo mercado interno, com os juros ainda em queda. Além disso, o crescimento da economia mundial também tenderá a dar uma contribuição positiva.