12 de julho de 2017

Segundo o Instituto de Economia Gastão Vidigal, a luz no fim do túnel da economia brasileira brilhou mais forte em junho. Confira as análises

De acordo com os estudos econômicos produzidos pelo Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP referentes ao mês de junho de 2017, a economia brasileira apresentou melhora consistente no que diz respeito à inflação, às vendas do varejo e à confiança do consumidor brasileiro.


PRIMEIRA DEFLAÇÃO EM 11 ANOS

Segundo o Temas em Análise #141, em junho aconteceu a primeira deflação dos últimos 11 anos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação “oficial” e foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentou variação negativa (-0,23%), ou seja, deflação no mês de junho.

Essa deflação mensal, que ficou abaixo das expectativas do mercado (-0,17%), se explica basicamente pelos efeitos negativos da crise sobre o consumo, pela “supersafra” agrícola, que continua a derrubar os preços dos alimentos, e pela redução das tarifas elétricas.

Com esse resultado, a variação do IPCA acumulada em 12 meses (“anualizada”), que se aproxima da inflação anual, recuou ainda mais, passando de 3,6% em maio para apenas 3,0% em junho, nível que representa o limite inferior da meta anual de inflação, que já vinha desacelerando nos meses anteriores, como mostra o Boletim de Conjuntura de maio.


FGTS AJUDA O VAREJO

Depois de uma primeira quinzena com aumento médio de 2,4% em junho, as vendas do varejo paulistano encerram o mês com alta média de 1,2% em comparação ao mesmo período de 2016. Este resultado, atestado no Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), está relacionado com a liberação do FGTS. No mês passado, as vendas a prazo e à vista apresentaram altas de 1% e 1,4%, respectivamente.

Sobre o mês anterior, as vendas em junho subiram em média 0,8% (sendo 1,2% a prazo e 0,4% à vista), mesmo com um dia útil a menos. O desempenho se deve às festas juninas ao longo do mês, ao Dia dos Namorados e à Parada Gay, que trouxe turistas de fora da cidade e do País.


CONSUMIDOR MAIS CONFIANTE

O consumidor paulista viu uma melhora na economia de sua região na passagem de maio para junho de acordo com o Índice de Confiança de São Paulo (IC-SP), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Segundo a pesquisa ― realizada pelo Instituto Ipsos entre os dias 1º e 13 de junho ―, 27% dos paulistas acreditavam que a economia local estava mais forte em junho em relação ao mês anterior. Isso representa uma melhora de cinco pontos percentuais (em maio a parcela era de 22%).

O IC-SP também informa que em junho 49% dos paulistas consideravam a economia local muita fraca, uma queda de quatro pontos percentuais ante maio (53%).