8 de novembro de 2017

Tudo o que você precisa saber para vender mais e com segurança.

Especialmente neste momento de retomada econômica, vender mais é objetivo de todo e qualquer comerciante, seja ele dono de loja de produtos ou de empresa prestadora de serviços.

Vender mais é, sem dúvida, fundamental, mas de nada adianta aumentar as vendas se junto com isso aumenta também a inadimplência. Uma venda só é válida se o cliente pagar pelo que consumiu. Caso contrário, ela se transforma em prejuízo puro, por dois motivos: o produto/serviço saiu só que o pagamento do mesmo não entrou -- e adicione a isso o trabalho e custo que terá para cobrar o inadimplente.

INADIMPLÊNCIA, UM PROBLEMA QUE PODE SER RESOLVIDO.

As adversidades ocorridas na economia ao longo dos últimos dois anos geraram grande cautela nas famílias, inibindo o consumo e consequentemente contribuindo para a diminuição do fluxo de inadimplência. Com a perspectiva de crescimento gradual da economia e renda, juros menores e inflação controlada, espera-se uma retomada sustentável da demanda de crédito, expandindo a renda disponível das famílias, fatores que deverão colaborar para a manutenção de um ritmo estável do estoque de inadimplência em 2017.

Segundo dados nacionais da Boa Vista SCPC, a inadimplência do consumidor caiu 2,5% nos valores acumulados no ano até outubro (frente ao mesmo período do ano anterior). Já na análise acumulada em 12 meses (novembro de 2016 até outubro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração 4,0%. E na avaliação mensal com ajuste sazonal, a inadimplência apresentou crescimento de 5,1% quando comparado a setembro.

VENDA E RECEBA NA MESMA PROPORÇÃO

Criar um vínculo com o cliente, personalizar o atendimento, fidelizar o consumidor… Dicas de como vender mais são sabidas, estão aos montes em toda parte. Mas e as dicas para vender mais e com segurança de recebimento? Vamos ver:

> Antes de efetivar a VENDA, especialmente se ela for de valor alto e será parcelada, é fundamental fazer uma análise de crédito, contando com o suporte do SCPC para isso. Comece a análise solicitando os documentos pessoais do cliente (RG e CPF), além de comprovante de residência e de renda.

> Com os documentos em mãos, realize uma consulta no SCPC para saber se o comprador tem alguma restrição de crédito, como por exemplo, um cheque sem fundo que foi devolvido ou o nome incluído na lista de inadimplentes.

> Nas vendas para pessoas jurídicas é importante que seja feita uma consulta no site da Receita Federal para analisar o contrato social, a existência da empresa e a inscrição da mesma em órgãos de proteção ao crédito.

> Outra precaução importante é checar o nome dos sócios da empresa que está comprando. Com isso, você consegue descobrir se o nome de todos os envolvidos na transação não está na lista de inadimplentes ou com problemas na Receita Federal.

> Para te poupar trabalho em uma próxima venda ou mesmo para manter as informação sobre os clientes organizadas, faça um cadastro completo para ele com toda a análise levantada durante a verificação de crédito, assim como todos os documentos relacionados à venda.

> Emita sempre o documento fiscal da venda. Além de trazer segurança para sua empresa, o documento fiscal serve como comprovante de que a venda realmente ocorreu.

PRECISA DE AJUDA?

O SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), produto da Boa Vista Serviços comercializado pela Associação Comercial de São Paulo, oferece, entre outros serviços, planos de análise e verificação de crédito de pessoas físicas e jurídicas.

O principal objetivo do SCPC é garantir ao empreendedor que ele venda e conceda crédito aos clientes (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica) com segurança, evitando inadimplência.

O plano “Família Acerta” (Acerta, Acerta Essencial e Acerta Completo) é um produto focado na verificação de crédito de pessoas físicas. Conheça abaixo as ferramentas oferecidas pela “Família Acerta”:

> Avaliação de risco (SCORE): trata-se da probabilidade de inadimplência do consultado nos próximos 6 ou 12 meses (dependendo da escolha do cliente). O Score pode ser considerado um diferencial do SCPC, pois os clientes Serasa precisam pagar a mais para obter esta informação.

> Dados cadastrais: Nome, endereço, CPF, etc.

> Dados restritivos: Dívidas pendentes e títulos protestados.

> Dados comportamentais: Como o consultado se comporta no mercado (como paga, se deixa de pagar parcelas, etc).

> Renda estimada: Com base nas contas pagas pelo consultado (telefone, luz, etc), o SCPC estima qual é a renda total daquela pessoa.

> Dados de localização: Quais endereços foram fornecidos para o mercado como sendo do consultado.

> Sugestão aprova/ não aprova a venda: Com base nos dados fornecidos, a ferramenta entende se o usuário deve ou não conceder crédito ao consultado.

> Indicação de limite de parcela: O SCPC indica a capacidade de pagamento do consultado.

> Ações cíveis: Caso o consultado tenha ações vinculadas a seu nome, o SCPC exibe o valor da ação, cidade, autor, etc.

> Participação em empresas: Indica se o CPF está vinculado a alguma empresa.

..::..

Já para consultas de crédito de pessoas jurídicas, a ACSP recomenda o “Consulte PJ”:

> Informações de identificação

> Informações de localização

> Quadro societário resumido

> Pendências e restrições financeiras

> Cheques sem fundos

> Protestos

> Recuperações, falências e ações judiciais

Sem dúvida, fazer uma análise de credito reduz expressivamente o número de consumidores inadimplentes na sua empresa/negócios.