24 de novembro de 2017

Conselho Cívico e Cultural debateu ações para resgate dos valores da família

Em reunião que aconteceu no dia 13 de novembro de 2017, que contou com a participação de dois vice-presidentes, o Dr. Roberto Ordine e Francisco Giannoccaro, o Conselho Cívico e Cultural da ACSP debateu ações para resgatar os valores da família, que vem hoje sofrendo sérias ameaças de desestruturação.

Essas ameaças partem principalmente da mídia que tem promovido tantos maus exemplos de comportamento e também estão claras no esforço de uma geração de educadores que procura divulgar ideologias desagregadoras para minar os laços familiares.

A destruição do modelo de família tradicional é o primeiro passo para instalar a desordem social que serviria de base para a implantação de um novo modelo de sociedade, estranho para nós, que estão querendo desenvolver em nosso país. Essas ameaças precisam ser neutralizadas, porque a Família é a célula da sociedade, onde devem ser cultivados os valores e as tradições que constituem o melhor fundamento da educação para a Cidadania.

É o resgate desses valores que nosso Conselho Cívico e Cultural está procurando promover e deverá ser nossa principal iniciativa nos próximos meses. Foi lembrado que 15 de maio é o “Dia Internacional da Família”, instituído pela ONU, e em 8 de Dezembro é celebrado o “Dia Nacional da Família”, datas que despertam pouca atenção em nossos calendários, e foi sugerido que essas datas fossem promovidas pela ACSP, com a realização de eventos para celebrar a Família e seus valores. Foi proposto também que o Conselho promova o projeto “Poesia pela Família”, a ser levado para as escolas.

Para enfatizar ainda mais a importância dessas iniciativas, foi lembrado recente artigo do jornalista Carlos Aberto Di Franco no “O Estado de São Paulo”, com o título “Família é Solução”, que diz: “A crise ética que castiga amplos segmentos da vida pública brasileira, fenômeno impressionante e desanimador, tem seu nascedouro na crise da família. A ausência de valores e princípios éticos no âmbito da educação familiar deixa marcas profundas.

Os homens públicos não são fruto do acaso, mas de sua história. A virada ética, consistente e verdadeira, começa na família”. Ao final da reunião, o Dr. Ordine salientou que a sociedade deverá se manter vigilante contra modismos e falsos valores que procuram desestruturar a família brasileira e sugeriu levar as ideias debatidas nesta reunião às nossas Distritais.