ACSP
ACSP

Temas em Análise 200: Indústria cresce abaixo do esperado em Outubro

De acordo com o IBGE, em outubro, a atividade industrial apresentou alta de 1,1%, em relação ao mesmo mês de 2017, ficando abaixo das expectativas de mercado (ver tabela abaixo), apesar de contar com um dia útil adicional no presente ano. No acumulado em 12 meses a produção do setor seguiu se expandindo (2,3%), porém em menor proporção do que a observado em setembro.

Temas em Análise 197: Em Setembro, varejo registra vendas abaixo do esperado

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em setembro, o volume de vendas do varejo restrito (que não considera veículos e material de construção) se manteve praticamente estável (0,1%), na comparação com igual mês do ano passado, ficando abaixo das expectativas de mercado (ver tabela abaixo). O varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, também decepcionou, apresentando leve alta (2,2%), na mesma base de comparação. Os resultados acumulados em 12 meses (2,8% e 5,8%, respectivamente) desaceleraram em relação à leitura anterior.

Temas em Análise 196: Inflação anual acelera em Outubro

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em outubro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou a maior alta para o mês desde 2015 (0,45%). As maiores contribuições estiveram dadas pelos grupos de transportes, ainda pressionado pelo comportamento altista dos preços de combustíveis, e alimentação e bebidas. Em 12 meses, a inflação “oficial” avançou para 4,56%, (ver tabela abaixo), afastando-se ligeiramente da meta de inflação anual (4,5%).

Temas em Análise 194: Serviços surpreendem em Agosto, mas ainda não se recuperam

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o volume de serviços prestados apresentou alta de 1,2%, em agosto, livre de efeitos sazonais, em relação a julho, configurando o melhor resultado mensal desde 2011. Na comparação com o mesmo mês de 2017, também houve avanço, que alcançou a 1,6%, surpreendo positivamente o mercado. Contudo, em termos anuais (acumulado em 12 meses) continua havendo retração, ainda que cada vez menor em relação à leitura anterior (ver tabela abaixo).