9 de fevereiro de 2018

Temas em Análise nº 162: Inflação comportada

O IPCA de janeiro, divulgado pelo IBGE, surpreendeu positivamente o mercado, ao apresentar variação de 0,29%, com o que a taxa recuou de 2,95% no acumulado de 2.107, para 2,86% nos doze meses completados em janeiro. Embora os alimentos tenham voltado a subir no mês passado, com o aumento de preços atingindo 0,74%, o acumulado de doze meses ainda apresenta deflação de 1,49%. Os transportes foram os maiores responsáveis pela elevação do índice em janeiro, com variação positiva de 1,10% devido aos sucessivos aumentos dos combustíveis, bem como das tarifas de ônibus e metro em São Paulo. Também o IGP DI registrou elevação menor do que o esperado, com aumento de 0,58% com o que no período de 12 meses completados em janeiro continua apresentando deflação de 0,28%, menos intensa que no mês anterior.

Como o IPA anualizado também continua no campo negativo em janeiro pode-se afirmar que os preços estão sob controle, graças, sobretudo, à forte queda dos preços agrícolas, mostrada pelo IPA AGRO que em janeiro foi de 10,29
negativo enquanto o IPA IND apresentou aumento de 0,91% no mês passado.

O comportamento dos preços em janeiro justifica plenamente a decisão do COPOM de reduzir para 6,75% a taxa SELIC e ainda permite que se possa esperar novas reduções se não houver qualquer abalo no cenário externo e
o Brasil conseguir avançar na reforma de previdência e em medidas de ajuste fiscal.