ACSP
ACSP

Itens têm cargas tributárias entre 15% e 20%, segundo levantamento da Associação Comercial de SP; já as taxas de perfume, relógio, cosmético e maquiagem passam de 50% do preço

São Paulo, 9 de maio de 2018. Presentear as mães com livro, flor ou ingresso de teatro ou cinema pode pesar menos no bolso. Isso porque esses produtos têm as menores cargas tributárias embutidas nos preços, quando comparados com perfume, relógio e cosmético, por exemplo, de acordo com levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Dos R$50 pagos por um livro, R$7,76 equivalem a impostos. É o presente com menor tributação (15,52%) do ranking de mais de 30 itens que a ACSP encomendou ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

Quem for levar a mãe ao teatro ou cinema irá desembolsar 20,85% de impostos sobre o preço do ingresso. Para as mães que gostam de assistir a um filme ou seriado em casa, o conversor digital tem 24,2% de carga tributária.   

Presentes tradicionais têm as cargas mais elevadas do levantamento: perfume (69,13%), relógio (56,14%), cosmético (55,27%), maquiagem (51,41%), joia (50,44%), calçado (36,17%), roupa (34,67%), óculos de sol (44,18%), bijuteria (43,36%), carteira (41,52%) e bolsa (39,95%). Para as mães que preferem ganhar algo para o lar, geladeira (46,21%), jogo de panelas (45,77) jogo de pratos (44,76%) e batedeira (44,37%) também estão entre as tributações mais altas do estudo.

“A diferença de taxação entre os produtos ocorre em razão da atribuição de impostos. Por exemplo, sobre o preço final do perfume há incidência de ICMS (25%) e IPI (30%). Por outro lado, sobre o livro e a flor não incidem esses encargos”, explica Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).   

Ele diz que, mesmo com a alta tributação, a perspectiva para este Dia das Mães é positiva, visto que é a segunda melhor data para o comércio, só perdendo para o Natal. A estimativa da ACSP é de crescimento entre 3% e 5% das vendas na capital paulista frente ao ano passado, com destaque para as TVs, que podem ter suas vendas alavancadas pelo apelo publicitário da Copa do Mundo. De acordo com o levantamento, 44,94% do preço de uma TV é destinado ao pagamento de impostos.

O segmento de roupas e calçados também pode ter bom desempenho caso as temperaturas caiam e os consumidores procurem, assim, presentes da moda outono-inverno.  

Segundo o presidente-executivo do IBPT, João Eloi Olenike, a elevada tributação dos presentes preferidos das mães deve-se ao fato de serem considerados bens supérfluos. "No Brasil, a tributação é muito concentrada no consumo, o que eleva os preços dos presentes e, muitas vezes, impede que o contribuinte consuma mais e melhor", explica Olenike.

 

Mais informações:
Patrícia Gomes Baptista
Assessoria de Imprensa
pgbaptista@acsp.com.br
(11) 3180-3220 / plantão (11) 97497-0287

Sobre a ACSP: A Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em seus 123 anos de história, é considerada a voz do empreendedor paulistano. A instituição atua diretamente na defesa da livre iniciativa e, ao longo de sua trajetória, esteve sempre ao lado da pequena e média empresa e dos profissionais liberais, contribuindo para o desenvolvimento do comércio, da indústria e da prestação de serviços. Além do seu prédio central, a ACSP dispõe de 15 Sedes Distritais, que mantêm os associados informados sobre assuntos do seu interesse, promovem palestras e buscam soluções para os problemas de cada região.

Por Patrícia Gomes Baptista