ACSP
ACSP

NOTA À IMPRENSA

São Paulo, 22 de maio de 2018. Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), comenta o impacto da greve dos caminheiros para o varejo nacional. Para ele, a paralisação ainda não afetou o abastecimento das lojas, mas o governo precisa resolver logo a situação, de preferência com a redução da Cide.

“Passado o Dia das Mães - principal data comercial do primeiro semestre -, é natural que a demanda arrefeça e os estoques das lojas estejam abastecidos, inclusive acima da média, visto que o consumo de forma geral está abaixo das expectativas. Mas é preciso que o governo solucione esse problema, inclusive para que a situação não fuja do controle”, diz Burti.

“A medida mais viável para o governo é reduzir a Cide, ainda que somente sobre o diesel. Seria uma decisão equalizadora para combater a alta provocada pelo petróleo mais caro e pelo câmbio desfavorável”, complementa o presidente da ACSP.

 

Mais informações:
Renato Santana de Jesus
Assessoria de Imprensa
rjesus@acsp.com.br
(11) 3180-3220 / plantão (11) 97497-0287

Sobre a ACSP: A Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em seus 123 anos de história, é considerada a voz do empreendedor paulistano. A instituição atua diretamente na defesa da livre iniciativa e, ao longo de sua trajetória, esteve sempre ao lado da pequena e média empresa e dos profissionais liberais, contribuindo para o desenvolvimento do comércio, da indústria e da prestação de serviços. Além do seu prédio central, a ACSP dispõe de 15 Sedes Distritais, que mantêm os associados informados sobre assuntos do seu interesse, promovem palestras e buscam soluções para os problemas de cada região.

Por Renato Santana de Jesus