Abrir uma empresa envolve uma série de desafios, principalmente quando a economia passa por momentos críticos. Em 1994, o governo brasileiro passou a aplicar um plano para conter a inflação e controlar as contas: o Plano Real, que logo no início gerou um grande aumento de impostos e tornou a situação ainda mais difícil para quem queria empreender.

Nesse cenário complicado e pouco encorajador, dois amigos decidiram concretizar um sonho antigo e começar um negócio: Eduardo Figueiredo Augusto e Luiz Fernando Savian, que já trabalhavam há 25 anos como executivos em uma administradora de consórcios fundaram, em 1995, uma empresa no mesmo setor. No ano seguinte, Luiz Fernando conheceu a ACSP e, desde então, faz parte da nossa Comunidade de Empreendedores.

A Unifisa é uma administradora de consórcios independente, como a maioria das administradoras do país. Isso significa que a empresa não é ligada a fábricas de automóveis ou bancos, e que, no ramo de consórcio, pode atuar em diversos segmentos.

O INÍCIO

Luiz sempre foi apaixonado pela atividade que exercia, e Eduardo também. "É uma atividade diferente. Como administrador de consórcio, você se realiza vendo que, com o seu trabalho, pessoas realizam mais do que seus desejos de consumo. Elas realizam sonhos", conta Luiz Fernando Savian.

O cenário econômico complicado da época tornou as coisas mais difíceis, mas o empresário vê o momento como uma experiência positiva. "Graças ao que passamos, a gente teve a visão necessária para sobreviver nesse mercado. E, depois, os anos seguintes já foram melhores, e acredito que a empresa também cresceu por conta da experiência que trouxemos naquele período", defende.

MERCADO

Se para muitos empresários os concorrentes são vistos como inimigos, Luiz acredita que a competitividade do mercado é importante e necessária. "A concorrência é sempre saudável, pois faz com que você não cochile e fique sempre atento ao que pode ser melhorado para manter a empresa atrativa no mercado. O que não é legal é lidar com concorrência desleal, que não trabalha com seriedade", diz Savian.

Em 1991, o mercado de consórcios passou por uma importante mudança. A partir daquele ano, as administradoras passaram a ser monitoradas com mais rigor pelo Banco Central, e não mais pela Receita Federal. Savian explica que, desde então, o sistema de consórcios ganhou mais credibilidade: antes da transição, havia cerca de 540 administradoras no país. Hoje, apenas 180. Sobreviveram apenas as empresas que comprovadamente tinham capacidade financeira, patrimonial e gerencial para continuar operando.

Por isso, a diminuição do número de empresas não tornou a vida de quem ficou no mercado fácil. "A concorrência ficou mais saudável, mais profissional. Continua sendo um desafio. Concorrer com gente preparada é muito diferente de concorrer com amador", conta Luiz. E quem ganha com tudo isso é o consumidor.

Não existe um segredo para justificar o sucesso da Unifisa, mas, em uma questão, eles trabalham com muito empenho: atendimento ao cliente. Por duas vezes, a empresa recebeu da ABT (Associação Brasileira de Telesserviços) prêmios de excelência em relacionamento com o cliente e atendimento. E, para o diretor, é essa dedicação que diferencia o seu negócio dos outros. "Nós procuramos superar as expectativas do consorciado, fazer mais do que ele espera. É uma meta que a gente tem e persegue constantemente", diz.

A Unifisa também está entre as melhores administradoras de consórcio no ranking do Reclame Aqui, um site independente que avalia o atendimento das empresas e recolhe reclamações dos consumidores.

Da esquerda para a direita: Luiz Fernando Savian, Thiago Pinheiro Savian, Leonardo Novaes Figueiredo Augusto e Eduardo Figueiredo Augusto.

DIA A DIA

Atualmente, a empresa conta com mais de 500 colaboradores, 18 filiais e representantes espalhados por todo o país, e sua matriz está em Alphaville. A Unifisa opera, também, com parcerias. "Algumas marcas comercializam produtos, querem ter o seu próprio consórcio e terceirizam essa atividade, então escolhem uma administradora para realizar a venda e administração do consórcio. Hoje, administramos os consórcios de grandes marcas, como a Audi, Ford e Fiat", explica Luiz Fernando.

A relação com o seu sócio, o Eduardo, é de muita harmonia. Os dois têm muito trabalho, e responsabilidades diferentes no dia a dia.

Enquanto Luiz atua mais voltado à área Comercial, Eduardo cuida da Administração. Eduardo fica mais tempo dentro da empresa, e o Luiz, que precisa fazer mais contatos externos, divide a sua rotina: parte do dia é dedicada às questões internas, e outra, direcionada ao relacionamento com o mercado. "Apesar da divisão de tarefas, estamos sempre juntos, participando de todos os processos e monitorando tudo", explica Luiz.

Savian tem um filho que já trabalha na empresa há 18 anos, e após passar por diversos cargos e funções, assumiu a área Comercial da instituição. O filho de Eduardo também já trabalha na Unifisa, há 14 anos. "Os dois foram muito bem instruídos e continuam sendo orientados para que, futuramente, façamos a sucessão da empresa. E esse processo envolve muito preparo, para que não haja nenhum choque", defende o diretor. "As atividades que eles assumiram já facilitam muito a nossa rotina", completa.

OBSTÁCULOS

Empreender é desafiador por muitos motivos. Luiz destaca a dificuldade de lidar com a burocracia e os impostos em excesso. "Contornar toda essa mecânica burocrática do Estado não é fácil. Hoje, no Brasil, as empresas de todos os portes sofrem com uma carga de impostos muito alta, e você só consegue enfrentar tudo isso se estiver realmente muito preparado" , afirma.

Ele ainda defende que a rotina do empreendedor é vista de maneira equivocada por muita gente, e que ser responsável por um negócio é estar sujeito a mais riscos (mas, ao mesmo tempo, ter mais oportunidades). "Achar que você vai montar uma empresa e vai deixar de ter patrão é um grande equívoco. Pelo contrário, você passa a ter muitos patrões: o Estado, os colaboradores, os clientes... Não tem jeito, você tem que saber lidar com todos", conta.

Para que uma empresa supere os obstáculos e alcance sucesso sucesso, Luiz acredita que, em primeiro lugar, é preciso ser apaixonado pelo que se pretende fazer. "Eu acho que gostar não basta, precisa ter paixão. O empreendedor precisa, também, conhecer muito bem o mercado onde ele pretende atuar. Se você conhece o caminho das pedras, minimiza as chances de erro", explica.

PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Abrir um negócio exige muito planejamento, especialmente financeiro. Assim, a empresa já entra no mercado mais estruturada e com mais facilidade de sobreviver e prosperar. E a Unifisa é resultado de longos anos de planejamento. "Eu fiquei me programando praticamente a vida toda. Quando eu comecei como funcionário na primeira empresa de consórcio, eu ainda não tinha esse objetivo, mas por pelo menos 10 anos eu e o Eduardo nos organizamos, poupamos dinheiro e nos preparamos para que quando fôssemos tomar a medida, estivéssemos mais seguros", lembra.

EU FAÇO PARTE DA ACSP

A parceria do Luiz Fernando com a ACSP já dura mais de 20 anos. Tudo começou quando ele precisou alugar um espaço e descobriu o auditório da Distrital Sudoeste, que ele usa até hoje para fazer reuniões da empresa. Para ele, no entanto, a Associação é uma parceira por muitos outros motivos. “O espaço é só um detalhe. Sou parceiro da ACSP porque gosto do ambiente que ela promove. As rodadas de negócios, encontros, jantares e outras atividades são importantes porque fazem com que você se relacione com os seus vizinhos, comerciantes e empreendedores. Esse networking é muito legal, gera negócios e fortalece as nossas empresas. Para quem é empreendedor, isso é tudo", afirma.

SOBRE O NEGÓCIO

Endereço: Avenida Marte, 525 - Centro de Apoio 1 - Alphaville - Santana de Parnaíba / SP
Telefone: (11) 3039-2300
Site: unifisa.com.br
Facebook: facebook.com/Unifisa

 

Você chega mais longe com o apoio das pessoas certas.
A ACSP é uma comunidade de empreendedores, venha fazer parte!

 

Por ACSP