O home office e a rotina sem sair de casa se tornaram uma realidade para muitos brasileiros desde que a quarentena foi decretada, em março deste ano, para frear a transmissão do novo coronavírus no país. E a medida afetou a rotina de todos.

Os estabelecimentos que puderam permanecer abertos, por se enquadrarem na categoria de “atividades essenciais”, precisaram adotar medidas reforçadas de higiene e segurança para preservar a saúde dos colaboradores e clientes. Outros se adaptaram ao modelo de delivery para continuar funcionando e há, ainda, aqueles que conseguiram aderir ao trabalho remoto para proprietários e funcionários. Nesses casos, sem a necessidade de deslocamento e com mais tempo livre, muitos estão buscando alternativas para tornar os seus dias mais produtivos. E essa pode ser a oportunidade perfeita para colocar os estudos em dia.

Por que estudar durante a quarentena?

Estamos em um momento totalmente atípico e o isolamento social pode abrir oportunidades. É a chance de transformar um tempo que poderia estar perdido em algo útil, e isso vale tanto para quem tem uma empresa quanto para os seus profissionais.

Além de adquirir novos conhecimentos, que mais tarde poderão ser utilizados na companhia e na profissão, estudar durante a quarentena é uma maneira de manter-se ocupado e fugir um pouco das preocupações com a pandemia. Por isso, é possível dizer que fazer cursos e buscar capacitação neste momento não serve apenas para o desenvolvimento intelectual e aprimoramento profissional. É, também, um recurso para a manutenção da saúde mental, tendo em vista que todos estão sob uma forte carga de estresse.

Apoio aos funcionários é fundamental em tempos de crise

Além da saúde e economia, a crise causada pela doença também gera impactos profundos no mercado de trabalho. Com o aumento do desemprego e a consequente insegurança dos profissionais, é cada vez mais difícil mantê-los engajados e dispostos a entregarem o melhor de si.

Para as empresas, uma alternativa de reverter esse quadro e aprimorar a qualidade das equipes é apoiar e investir na capacitação de funcionários, se houver condições. Isso mostra que, mesmo diante de um cenário sensível, o empregador continua valorizando os colaboradores e quer ajudá-los a sair da crise ainda mais instruídos.

Além do mais, um dos fatores que mais contribuem para a insatisfação profissional e o desejo de buscar novas experiências - independentemente de crises - é o sentimento de estagnação. E, mais do que desestimular os colaboradores, a falta de contato com novas informações prejudica a própria empresa, que pode ter suas equipes desatualizadas. Sem renovação, o negócio perde competitividade e espaço no mercado.

Opções disponíveis

Para o empreendedor que quer aproveitar o período e investir em sua capacitação ou no aperfeiçoamento dos funcionários, existem algumas opções interessantes. Os cursos livres, por exemplo, têm duração bem menor que os superiores e podem ser concluídos ainda durante a quarentena. A vantagem desse modelo é que o conteúdo das aulas é voltado a oferecer conhecimentos mais específicos e, normalmente, os cursos são muito mais baratos.

Para atender essas necessidades, a Faculdade do Comércio de São Paulo (FACSP) oferece diversos cursos livres voltados ao ambiente empresarial, inclusive a distância. Mesmo na quarentena, os alunos podem interagir online com o professor, tirar dúvidas em tempo real e sem sair de casa. 

 

Confira as opções disponíveis na Faculdade do Comércio de São Paulo:

 

Iniciativas para o negócio

1 - Como criar uma loja virtual para o seu negócio

2 - Excelência no atendimento ao cliente

3 - Marketing Digital

 

Comércio Exterior

1 - Comércio Exterior: passo a passo para importar e exportar

2 - Logística na importação e exportação

3 - Negociação internacional

4 - Transporte internacional

 

E você? Também está pensando em aproveitar a quarentena para investir em capacitação e tornar a sua empresa mais competitiva? Clique aqui e conheça mais sobre os cursos e condições disponíveis na Faculdade do Comércio de São Paulo.


Por ACSP