A depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é um transtorno mental que pode ser identificado por algumas características: mudanças no humor, sensação frequente de culpa, baixa autoestima, perda de interesse em realizar atividades que antes eram prazerosas, distúrbios do sono ou de apetite estão entre elas.

Nos últimos anos, o assunto tem sido cada vez mais discutido, já que, em todo o mundo, o número de pessoas afetadas pela depressão não para de crescer: hoje, 400 milhões de pessoas convivem com o distúrbio no planeta.

A situação no Brasil chama a atenção. Segundo um estudo realizado pela Universidade Harvard, a prevalência de depressão aqui é a maior entre as nações em desenvolvimento, e mais de 10% da população já é atingida. Por isso, mais do que estarmos atentos às pessoas ao redor e oferecer ajuda, é preciso trabalhar na prevenção do problema.

Diante desse cenário tão delicado, gestores e líderes também precisam se preocupar; afinal, situações adversas no trabalho podem exercer grande influência no desenvolvimento ou piora do quadro depressivo dos colaboradores.

Sinais mais comuns de depressão

Quando diagnosticada, muitas vezes a depressão gera surpresa nos amigos, parentes e colegas de trabalho do indivíduo afetado. Isso porque, mesmo com o contato diário, algumas pessoas não conseguem identificar mudanças no comportamento das outras. Em outros casos, os sintomas da doença podem ser confundidos com uma tristeza ou indisposição passageira e, por isso, não recebem a atenção devida.

A depressão no trabalho tem sido um problema bastante sério no Brasil. Dados levantados pelo Ministério do Trabalho em 2013 mostraram que, só naquele ano, mais de 60 mil pessoas foram afastadas das atividades e precisaram recorrer ao auxílio-doença porque foram diagnosticadas com estágios avançados desse distúrbio, que, segundo a OMS, será a doença mais comum de todas em 2030 (e, por isso, já é conhecido como “mal do século”).

Fique de olho nos seus colaboradores e, se a sua equipe for muito grande, oriente os líderes da empresa a fazerem o mesmo. Baixo astral ou tristeza, perda de interesse nas atividades, queixas sobre insônia, mudança de peso e apetite, dificuldade de planejamento e execução de tarefas, dificuldade de concentração e esquecimento podem ser indícios de depressão. Se alguém apresentar um desses sintomas, procure conversar e mostrar-se preocupado, além de falar sobre a importância de buscar ajuda profissional, sempre por meio de ações e palavras gentis.

Prevenção: uma responsabilidade da empresa

As empresas têm um papel muito importante na prevenção da depressão e outras questões relacionadas à saúde e bem-estar; afinal, o expediente ocupa grande parte do dia dos funcionários. Como você tem agido para evitar esse problema?

Se a sua empresa ainda não desenvolve ações nesse sentido, é hora de começar a dar mais atenção a esse assunto. Qualidade de vida é importante não apenas para que os indivíduos possam ter uma rotina mais agradável, mas também faz com que eles produzam mais e trabalhem melhor – o que, sem dúvida, é muito positivo para o seu negócio. Que tal começar incentivando os seus funcionários a cuidarem de si mesmos, irem ao médico e fazerem exames de rotina para certificarem-se de que a saúde está em dia? A ACSP tem uma solução para você oferecer saúde aos seus colaboradores com preços mais acessíveis e flexíveis que os disponíveis no mercado. Clique aqui e conheça!

 

Você chega mais longe com o apoio das pessoas certas.
A ACSP é uma comunidade de empreendedores, venha fazer parte!

 

Por ACSP