ECONOMIA FINALIZA TRIMESTRE EM UM CENÁRIO DE INCERTEZAS E INSEGURANÇA

A incerteza com o andamento da pandemia e da vacinação, além da queda na confiança do consumidor pela perda na renda, sinalizam um cenário difícil para a economia nesse final de 1º trimestre de 2021. Essa é a avaliação da primeira reunião on-line deste ano do Comitê de Avaliação de Conjuntura da ACSP.

Com o endividamento do governo relativo às medidas emergenciais de combate à pandemia beirando os 90%, a distensão do auxílio e do crédito são desafios importantes nesse momento, disse um economista presente ao encontro.

É motivo de preocupação a inflação acelerada, principalmente nos alimentos (5,2% até fevereiro), que levou o BC a subir os juros em 0,75%. Além do aumento de demanda, há pressão nos preços devido à alta do petróleo, das matérias-primas básicas e do câmbio, cada vez mais repassados aos preços finais.

Na avaliação de um participante da reunião, as políticas erráticas de isolamento levaram a um cenário econômico complicado, com o consumidor manifestando queda importante e generalizada na confiança, devido ao temor pela perda do emprego e da piora das expectativas - o que sinaliza mais cautela nos próximos meses, disse.

De acordo com outro economista presente à reunião on-line, o que mais preocupa é a 'ignorância' das medidas restritivas adotadas, devido às características próprias de algumas capitais brasileiras, que dificultam o isolamento, especialmente nas regiões dominadas por habitações precárias, como favelas e cortiços.


Por ACSP