Há 43 anos, quando se filiou à Associação Comercial de São Paulo, Alfredo Cotait Neto nem sequer imaginou que um dia estaria à frente da entidade. Aliás, ele nem tinha esse desejo. O novo presidente da ACSP, que sucede o empresário Alencar Burti, se diz despretensioso e acredita que cargos de liderança devem ser conquistados de forma natural, como resultado de dedicação e envolvimento em uma causa. Com ele, aconteceu exatamente assim.

Como associado, Cotait sempre foi bastante participativo. “Sempre que podia, eu estava presente nas reuniões, nas plenárias ou quando havia alguma apresentação de assuntos do meu interesse. E isso é muito importante porque no dia a dia o empreendedor acaba ficando muito preso às atividades do seu negócio. Então, quando ele tem contato com uma instituição como a nossa, com um ambiente que facilita a troca de experiências e conhecimento, ele amplia os seus horizontes e evolui”, defende o presidente.

Cotait é engenheiro civil com mestrado em Economia e Administração de Empresas. Na iniciativa privada, liderou empreendimentos nas áreas de construção civil, mercado de capitais, financeira, hoteleira e hospitalar. Tantas experiências permitiram que hoje ele entenda as necessidades de quem tem uma empresa e possa desenvolver propostas para descomplicar, de fato, a rotina do empreendedor. Facilitar o acesso ao crédito é uma delas.

Acesso ao crédito

Para as pequenas empresas, conseguir crédito não é nada simples. Taxas altas e excesso de burocracia são empecilhos que, em momentos de dificuldades, impedem o acesso de pequenos empresários aos serviços financeiros e podem levar muitos empreendimentos à falência. Mudar essa realidade para os associados está entre as prioridades de Alfredo Cotait, que já menciona dois projetos: o primeiro é a concretização de uma parceria com a instituição financeira cooperativa Sicredi, e o segundo, a constituição de uma empresa de Sociedade de Crédito Direto que, futuramente, também poderá facilitar o acesso dos filiados a soluções financeiras. “O desenvolvimento econômico do nosso país está baseado no crédito, e a Associação Comercial de São Paulo acredita que criar essa facilidade é o caminho para fortalecer os nossos associados”, afirma Alfredo.

Pensando no futuro

Fundada em 1894, a ACSP tem como um de seus maiores desafios ser reconhecida como uma instituição moderna, alinhada às práticas de um mercado que se transforma constantemente. Mais do que alcançar esse objetivo, Cotait pretende trabalhar para “deixar a entidade pronta para o futuro”.

ACSP: O senhor fala muito sobre a importância de preparar a Associação para o futuro. O que pretende fazer nesse sentido?

Alfredo Cotait: Na verdade, a gestão tem alguns pilares, e eu considero que três são os mais importantes: o primeiro diz respeito à recuperação das distritais. Queremos aproximar as distritais dos associados e promover melhorias na prestação de serviços. O segundo é reforçar a atuação da Associação Comercial de São Paulo no comércio exterior, porque o Brasil precisa aumentar a sua participação no comércio internacional. E o terceiro é dar mais atenção ao varejo, trazendo o empreendedor lojista para trabalharmos juntos em projetos de interesse comum. Sem dúvida, esses avanços vão contribuir para que a Associação perdure.

ACSP: Durante a sua campanha, o senhor falou sobre ampliar a inclusão de mulheres e jovens nas atividades da entidade e dar mais atenção a esses públicos. Investir nisso também é uma forma de renovação?

Alfredo Cotait: Com certeza. A mulher tem uma veia empreendedora e desempenha papéis tão importantes quanto os homens. Então, aqui a gente também precisa fortalecer a figura feminina – e por isso estamos revigorando o Conselho da Mulher. Em relação aos jovens, temos que pensar em ações para que eles passem a frequentar mais a entidade, gostar da Associação Comercial de São Paulo e tomar conta dela. Colocando os jovens em destaque, a gente consegue alcançar uma transição e interagir com os públicos de forma mais moderna.

Para colocar os seus planos em prática, Cotait pretende contar com o apoio de líderes que, como ele, exercem cargos voluntariamente na Associação. “Para os voluntários, é gratificante usar a sua experiência para contribuir com o progresso da entidade, e por isso eles são fundamentais. A Associação simplesmente não existiria sem esse apoio”, ele diz.

ACSP e FACESP: uma integração necessária

Em 2019, Alfredo Cotait também foi empossado presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (FACESP). Ele reforça a importância da união entre as associações comerciais paulistas para fortalecer a rede de aproximadamente 420 entidades que compõem a Federação.

ACSP: Por que é tão importante que a ACSP e a FACESP trabalhem de maneira integrada e sejam presididas pela mesma figura?

Alfredo Cotait: Por estar na capital e ser a maior das 420 entidades, é como se a Associação Comercial de São Paulo funcionasse como o cérebro e a FACESP, como os membros. Essa somatória é fundamental. A ACSP, por ser a principal, adota um posicionamento e acabando fazendo a articulação política, mas as outras 420 são as responsáveis pela mobilização política. Então, a parte central do pensamento político está na ACSP; porém, a ação política está na Federação. Elas são indissolúveis. Se você separa isso, as ações pensadas perdem sua força e acabam, portanto, não funcionando.

Está ansioso para conhecer as ações da nova gestão da Associação? Fique de olho nos conteúdos que publicamos no portal e siga-nos em nossas redes sociais! Em breve, você conhecerá outras pessoas que fazem parte da ACSP. Até a próxima!

 

Com a ACSP você vai mais longe.
Faça parte da nossa comunidade de empreendedores.

 

 

Por ACSP