Você já ouviu que “feito é melhor que perfeito”? A frase é famosa e usada para mostrar que a perfeição não existe – ou que, pelo menos, não é o melhor caminho a ser seguido.

Se você é perfeccionista, está sempre atento aos mínimos detalhes e fica incomodado se alguma coisa não sai exatamente como gostaria, saiba que esse comportamento aparentemente inofensivo pode ser um grande obstáculo para a sua produtividade e trazer prejuízos à sua rotina e à de sua equipe. Mas, afinal, qual é o problema em querer que tudo fique perfeito?

Em primeiro lugar, a perfeição é uma questão de percepção, ou seja, é relativa. Isso significa que um trabalho considerado perfeito por você pode não ser visto com bons olhos por outra pessoa. E, se o seu objetivo for alcançar a perfeição para agradar a todos o tempo todo, você pode ficar estressado, frustrado e sem tempo para fazer outras coisas importantes – já que vai ficar mais concentrado do que o necessário em uma só atividade.

Quando você lidera uma equipe e exige que o desempenho deles atenda ao seu ideal de perfeição, eles também passam a ficar desapontados e, consequentemente, desmotivados no trabalho.

Consciência

É preciso entender que, além de perda de tempo, o comportamento perfeccionista deixa o indivíduo infeliz e até decepcionado com ele mesmo, já que ele nunca fica satisfeito com o que faz. Aliás, muitas vezes o perfeccionista percebe que o seu trabalho já está muito bom, mas quer melhorar alguma coisa e fica paralisado, sem desenvolver coisas novas e evoluir.

Saudável x Neurótico

Até certo ponto, o desejo de dar o melhor de si em cada ação é considerado um “perfeccionismo saudável”. Quando está diante de metas, por exemplo, o perfeccionista saudável enxerga a situação como um desafio, uma oportunidade de aprendizado, algo que o estimula. Já o “perfeccionista neurótico” costuma ficar assustado, tem medo de não alcançar o resultado desejado e começa a cobrar de si mesmo ações exageradas para fazer com que tudo dê certo. Em vez de motivadora, essa preocupação em excesso trava o perfeccionista e faz com que ele entregue resultados inferiores aos que seria capaz de desenvolver.

Outra diferença entre os perfeccionistas “saudáveis” e “neuróticos” está na maneira como eles organizam o seu tempo e definem suas prioridades. Enquanto o perfeccionista saudável gosta de dedicar tempo à família, aos amigos e outras atividades para se divertir, o perfeccionista neurótico costuma abdicar de seus momentos de lazer para continuar concentrado nas tarefas e entregar o que, para ele, é um trabalho perfeito.

Como lidar com o problema?

Se você acredita que o perfeccionismo está prejudicando à sua rotina e bem-estar, algumas ações podem ajudá-lo a virar o jogo e viver melhor. Uma estratégia prática e interessante é determinar prazos de conclusão para todas as suas atividades, por mais simples que elas sejam. Assim, você não perde tempo refazendo processos sem necessidade ou dando atenção demais a detalhes de pouca importância.

Outra atitude importante é sempre respeitar a si mesmo. O que isso significa? O perfeccionista neurótico costuma se cobrar demais e fica inseguro por achar que não vai conseguir fazer nada tão bem ou que seus planos não vão dar certo. A partir daí, começa a criar neuroses, porque está buscando algo inatingível, a perfeição. Pegue leve com você e valorize as suas conquistas!

Se o resultado do seu trabalho foi satisfatório, mas não tão bom como você queria, aprenda a olhar para os pontos positivos do que você realizou e pense que, em oportunidades próximas, você terá novas chances de fazer ainda melhor. Isso não significa que em determinado momento você chegará ao ponto de não ter qualquer aspecto para melhorar, afinal, evoluímos constantemente. Então, não se cobre tanto.

Se para você lidar com o perfeccionismo é realmente uma grande dificuldade, que tal escolher um “anjo da guarda”? Essa pessoa pode te ajudar e até chamar a sua atenção sempre que perceber que a sua mania de perfeição está te atrapalhando e você está passando do ponto.

Gostou do conteúdo? Certamente ele não ficou perfeito, mas esperamos que, de alguma forma, tenha ajudado você a refletir sobre uma forma de viver de maneira mais leve. Assim, é possível transmitir bem-estar à sua equipe, na empresa, aos seus amigos e todos à sua volta.

Falando em bem-estar, você já conhece a alternativa da ACSP para você, empreendedor que deseja oferecer qualidade de vida aos seus funcionários? Clique aqui e saiba mais!

 

Você chega mais longe com o apoio das pessoas certas.
A ACSP é uma comunidade de empreendedores, venha fazer parte!

 

 


Por ACSP