O avanço do novo coronavírus pegou o mundo todo de surpresa e trouxe resultados nada animadores para as empresas. No Brasil, não foi diferente. Logo na primeira semana após a declaração de pandemia, em 11 de março, as vendas nos comércios do país caíram 60% e ainda estão distantes de uma recuperação.

Nem as datas comemorativas têm sido capazes de amenizar as dificuldades desse momento tão delicado. Prova disso é que a Páscoa, que costuma movimentar o comércio na primeira quinzena de abril, não trouxe os resultados esperados: neste ano, as vendas na capital paulista no período registraram queda média de 65,5% em relação a março, segundo o Balanço de Vendas da ACSP.

Existe uma solução?

Em meio às dificuldades, muitos empreendedores já devem ter ouvido que, nesse momento, é necessário se reinventar. E é verdade. Mais que adaptar a rotina da empresa à nova realidade, buscar apoio de outros empresários, seja para compartilhar experiências e ter novas ideias ou concretizar ações conjuntas, pode contribuir para melhorar os resultados.

Agora, o empreendedor precisa analisar as parcerias que podem ser feitas e é preciso ter a mente aberta para a reinvenção. Avalie, inclusive, as possibilidades de se unir àquele que pode até ser seu concorrente, mas que agora pode complementar a atividade da sua empresa auxiliando na entrega, divulgação ou outro processo. Fuja das estratégias convencionais e lembre-se que, no momento, a prioridade é propor ajuda mútua para que mais empresas sobrevivam no mercado.

Afinal, como procurar ou oferecer parcerias nesse momento?

A seguir, listamos algumas orientações para que o empreendedor consiga transformar o negócio nesse momento de crise e buscar parceiros. Lembre-se: o ideal não é esperar que as melhores opções para a sua empresa venham de fora, como depender exclusivamente de isenção de aluguéis ou royalties (em caso de franquias). Para salvar o seu negócio, é preciso vencer o medo e ter uma atitude proativa. Confira: 

1 - Esteja disposto a mudar: a crise é global, mas você é o maior interessado em encontrar uma solução para o seu negócio. Tenha em mente que isso pode envolver mudanças drásticas em ações que você vinha planejando há tempos e que trazia sucesso até então.

2 - Conheça o seu público: qual base de dados a sua empresa já tem e como você se relaciona com esses clientes? Lembre-se que ter essas informações em mãos é fundamental para se propor uma parceria.

3 - Descontos para o futuro: a estratégia de venda de vouchers que podem ser comprados com desconto agora para consumir um produto ou serviço no futuro é uma ação que vem sendo muito adotada nesse período e funciona muito bem para ser praticada em parceria com outros estabelecimentos, formando ofertas de “combos”.

No entanto, é preciso pensar que esse serviço ou produto vendido agora deverá ser entregue e ainda manter uma margem de lucro, por menor que seja. Com o seu parceiro, faça as contas para que o caixa de nenhuma das empresas seja prejudicado nessa história.

4 - Escolha parceiros que podem agregar valor: grande parte dos clientes está em casa, mas não de férias. Muitos estão trabalhando mais horas do que costumavam, conciliando tarefas domésticas com o trabalho. Como a sua empresa - e o parceiro em potencial - podem ajudá-los a resolver seus problemas? Leve isso em consideração para fechar parcerias mais interessantes e criar ações conjuntas assertivas. 

5 - Valorize os serviços essenciais: procure pelas empresas que estão abertas e se enquadram nas atividades chamadas essenciais, como padarias, farmácias, quitandas e supermercados. Há algo nesses estabelecimentos que possa integrar ao seu modelo de venda ou uma possibilidade de propor uma divulgação? Considere essas possibilidades.

6 - Considere fazer parte de uma associação comercial: para os empresários que ainda não têm uma rede de relacionamento para buscar apoio no período de recessão, uma alternativa para construí-la mais rapidamente é o associativismo. A ACSP reúne milhares de empreendedores da capital paulista que têm interesses, objetivos e desafios em comum e podem trabalhar como grandes parceiros em momentos difíceis.

Leia também | Associativismo: o que é e quais são suas vantagens para o empreendedor?

Além de atuar como porta-voz dos micro e pequenos empresários junto ao governo nesse momento, a Associação também está oferecendo 40% de desconto na anuidade para que mais empresas possam fazer parte da comunidade de empreendedores e ter acesso aos benefícios exclusivos para associados, que podem ser de grande ajuda nesse momento. 

Quer saber mais detalhes sobre as condições especiais para se tornar um associado e os benefícios de fazer parte da ACSP? Clique aqui.

E agora? Você se sente mais preparado para firmar parcerias nesse período de crise? Conte com o apoio da ACSP para ajudar a sua empresa a enfrentar esse momento delicado. Confira, também, as dicas que preparamos para você fazer networking e ampliar a sua rede de contatos.


Por ACSP